Risco ao Melanoma

Dentre todos os tipos de câncer, o de pele é o mais comum com cerca de 140.400 casos novos por ano no Brasil. Os melanomas, embora possuam baixa incidência, apresentam alto índice de mortalidade dos indivíduos que manifestam a doença. A incidência das neoplasias malignas do tipo melanoma representam 4%, contudo o número total de óbitos corresponde a 79% das mortes.

Hoje, sabe-se que a manifestação da doença é causada por uma complexa interação de parâmetros ambientais e genéticos que englobam fatores etiológicos como a exposição aos raios ultravioletas, principalmente aqueles do espectro do UVB, e variações genéticas, como os polimorfismos.

Com o avanço e o interesse em uma medicina personalizada, preventiva, preditiva e participativa e como a população Brasileira constitui um grupo geneticamente heterogêneo, faz-se necessário a análise destes polimorfismos como importante ferramenta no combate à doença. Pensando nisso, o Centro de Genomas® desenvolveu o teste de Risco ao Melanoma. O “Risco ao Melanoma” trata-se de um teste de caráter preditivo, onde são avaliados polimorfismos de nucleotídeo único (SNP) nos genes relevantes relacionados com o risco de desenvolvimento da doença.