Telômeros, IL-6 e obesidade: Qual a interação?

Os telômeros são estruturas do DNA localizados nas extremidades dos cromossomos, participam da manutenção da integridade do genoma durante o processo de replicação celular. Considerando o comprimento do telômero (CT) um biomarcador importante para os processos fisiológicos, diversos estudos procuram conhecer mecanismos capazes de regular a velocidade de encurtamento dos telômeros. Estudos apontam que doenças com etiologia pró-inflamatória, tais como obesidade, resistência à insulina e diabetes mellitus tipo II estão associadas com o comprimento dos telômeros.

Para tanto, o estudo recrutou 66 adolescentes com sobrepeso e obesidade e idades entre 12 e 16 anos, sendo que destes, apenas 54 deles foram genotipados para o polimorfismo -174G/C do gene da IL-6, correspondente à inteleucina 6, uma citocina pró-inflamatória.

A proposta da intervenção terapêutica utilizada foi baseada em programa multidisciplinar envolvendo nutricionistas, fisioterapeutas, psicólogos e pediatras, sendo dividido em duas fases:

 

imagem

Figura 1. Modelo de estudo 

 

Dentre as avaliações realizadas com os adolescentes, destacam-se avaliação antropométrica, bioquímica e genotípica, sendo que para avaliação dos telômeros, os pesquisadores realizaram expressão gênica, enquanto que para a genotipagem do SNP rs1800795 da IL-6, fizeram PCR em tempo real. A partir dos resultados encontrados no estudo, verifica-se que após os dois primeiros meses os participantes apresentaram alterações significativas dos parâmetros bioquímicos avaliados, com exceção das concentrações de TNF-alfa e IL-6, assim como mostra a figura a seguir.

 

imagem

Figura 2. Alterações metabólicas dos adolescentes antes e após o período de intervenção.

 

Em relação ao comprimento dos telômeros, os pesquisadores mostraram associação positiva com as mudanças nas concentrações plasmáticas de glicose e de IL-6, sendo que quanto maior o comprimento dos telômeros, menor glicemia e menores concentrações de IL-6 foram encontradas, como mostra na figura 3.

imagem

Figura 3. Associação entre o comprimento dos telômeros no baseline e alterações nas concentrações de glicose e IL-6 após 2 meses de intervenção. Dados ajustados para idade, sexo e os parâmetros bioquímicos do baseline.

Em relação aos genótipos, os pesquisadores observaram interação positiva para as concentrações de IL-6 entre os indivíduos GG/GC, mas não com os homozigotos (CC), como mostra a figura 4.

imagem

Figura 4. Interação entre o polimorfismo no gene da IL-6 (rs1800795) com o comprimento de telômeros no baseline, segundo os genótipos. Análise de regressão linear. P de interação ajustado para idade, sexo, concentrações de IL-6 e IMC dos adolescentes.

Portanto, doenças crônicas não-transmissíveis como a obesidade e o diabetes mellitus tipo 2 podem estar associadas com telômeros de menor comprimento, este que por sua vez, pode ser um fator de risco para desordens metabólicas, mas que pode ser modulado pela dieta.

 

Referência: García-Calzón S, Moleres A, Gómez-Martinez S, Diaz LE, Bueno G, Campoy C, Martinez JA, Marcos A, Azcona-Sanjulián MC, Zalba G, Marti A; EVASYON study group. Association of telomere length with IL-6 levels during an obesity treatment in adolescents: interaction with the-174G/C polymorphism in the IL-6gene. Pediatr Obes. 2016 Apr 13.