Resposta à dieta depende do genótipo em LEPR

A obesidade acomete mais de 20% da população brasileira e ela está associada a diversas alterações fisiológicas, como dislipidemia, resistência insulínica e inflamação crônica, os quais são fatores de risco para as doenças cardiovasculares. Diversas estratégias têm sido utilizadas para redução do peso corporal e para a manutenção da saúde, porém fatores genéticos podem interferir na resposta às intervenções. 

Dietas para perda de peso e controle da dislipidemia

Um exemplo é a variante genética Lsy656Asn presente no receptor da leptina (LEPR), caracterizada pela troca do aminoácido lisina por uma asparagina no códon 656. O receptor da leptina é expresso no hipotálamo e quando ativado regula a via da melanocortina, responsável pelo estoque de gordura corporal. Apesar do polimorfismo não resultar em prejuízos à saúde, ele pode explicar porque algumas pessoas não respondem às dietas de emagrecimento. Para avaliar essa questão, um estudo investigou o efeito de duas dietas para redução de peso: uma dieta hipocalórica, rica em proteínas e com baixo teor de carboidratos, e uma dieta hipocalórica padrão.
A composição das dietas pode ser observada na tabela 1. 

 

Tabela 1 - Composição das dietas 

 

Dieta rica em proteínas e baixa em carboidratos

Dieta hipocalórica padrão

Calorias (kcal/dia)

1050 kcal/dia

1093 kcal/dia

Proteína (%; g/dia)

34%; 88,6 g/dia

20%; 55,6 g/dia

Carboidrato (%; g/dia)

33%; 86,1 g/dia

53%; 144,3 g/dia

Lipídios (%; g/dia)

33%; 39 g/dia

27%; 32,6 g/dia


O estudo envolveu 280 indivíduos obesos, os quais foram agrupados de acordo com o genótipo de risco do LEPR. Foram avaliados parâmetros antropométricos (IMC, peso corporal, gordura corporal), bioquímicos (perfil lipídico, insulina, HOMA-IR) e adipocinas circulantes (leptina, adiponectina). Após nove meses de intervenção, ambas as dietas resultaram em perda de peso e redução de gordura corporal, independente do genótipo. Contudo, indivíduos obesos carreadores da variante Asn656 não tiveram melhora no perfil lipídico ao final da intervenção em ambas as dietas. Os resultados podem ser visualizados na tabela 2.

 

Tabela 2 - Dados antropométricos e fatores de risco cardiovasculares dos participantes antes e após as intervenções nutricionais.

Tabela Dieta


Assim como a variante em LEPR, outros polimorfismos também podem resultar em diferentes respostas às intervenções nutricionais. O teste nutrigenética do Centro de Genomas® possibilita conhecer os principais genótipos de risco para obesidade e tem o objetivo de proporcionar uma conduta nutricional mais personalizada e mais assertiva ao paciente.

Referência: de Luis D, Aller R, Izaola O, Primo D, Romero E (2016) Effects of a High Protein/Low Carbohydrate Versus a Standard Hypocaloric Diet on Weight and Cardiovascular Risk Factors, Role of a Lys656asn Polymorphism of Leptin Receptor Gene. J Metabolic Synd 5: 206.