Síndromes de Angelman

Neurogenética

INFORMAÇÕES

A síndrome de Angelman (AS) é caracterizada por atraso no desenvolvimento neuropsicomotor ou deficiência intelectual, dificuldades na fala, distúrbios no sono, convulsões, movimentos desconexos e sorriso frequente. A AS é causada pela perda de função do gene UBE3A, localizado no cromossomo 15, região 15q11.2. A análise da região cromossômica 15q11.2 sujeita a imprinting genômico por MS-MLPA é capaz de diagnosticar cerca de 80% dos indivíduos com AS, incluindo aqueles com deleção materna (65-75%), dissomia uniparental paterna (3-7%), ou defeito de imprinting (3%). Cerca de 11% dos casos de AS são causados por mutações no gene UBE3A, detectáveis por exames de sequenciamento.

Confira abaixo os detalhes de cada Exame (Indicação, Amostras, Prazos e Transporte)

MS-MLPA - REGIÃO 15q11.2 - PESQUISA DE ALTERAÇÃO DE METILAÇÃO E DE DELEÇÕES / DUPLICAÇÕES

INDICAÇÃO

A técnica de MS-MLPA (Methylation-Specific – Multiplex ligation-dependent Probe Amplification) é capaz de detectar cerca de 80% dos indivíduos com AS, incluindo aqueles com deleção materna (65-75%), dissomia uniparental paterna (3-7%), ou defeito de imprinting (3%). O MS-MLPA permite detectar alterações de metilação e do número de cópias de DNA da região 15q11.2. Esse kit contém sondas de DNA que mapeiam nos genes MKRN3, MAGEL2, UBE3A, SNRPN, NDN, ATP10A, GABRB3 e SNORD116-1. Os fragmentos amplificados por PCR em multiplex são separados por eletroforese capilar.

METODOLOGIA

Methylation-Specific – Multiplex ligation-dependent Probe Amplification (MS-MLPA)

AMOSTRA

Sangue total (EDTA) – 5mL

TRANSPORTE

Refrigerado (2 a 8ºC)

PRAZO DE RESULTADO

30 dias úteis
PESQUISA DE DISSOMIA UNIPARENTAL DO CROMOSSOMO 15 - UDP15

INDICAÇÃO

O exame de dissomia uniparental do cromossomo 15 é recomendado para paciente no qual foi detectada alteração no padrão de metilação no exame de MS-MLPA, acompanhado de ausência de deleções/duplicações da região 15q11.2. A metodologia desse exame consiste na amplificação por PCR de regiões específicas do cromossomo 15, seguida por análise de fragmentos por eletroforese em capilar.

METODOLOGIA

Análise de fragmentos

AMOSTRA

Sangue total (EDTA) – 5mL

TRANSPORTE

Refrigerado (2 a 8ºC)

PRAZO DE RESULTADO

30 dias úteis
SEQUENCIAMENTO COMPLETO DO GENE UBE3A

INDICAÇÃO

Exame recomendado para pacientes com suspeita clínica de síndrome de Angelman. Cerca de 11% dos casos de AS são causados por mutações no gene UBE3A, detectáveis apenas por exames de sequenciamento. O exame é capaz de detectar variantes genéticas na região codificadora e sítios de splicing do gene UBE3A que resultam na alteração da sequência de nucleotídeos: substituições (troca de uma única base) e indels (inserções ou deleções <1Kbp). A metodologia desse exame consiste na amplificação das regiões codificadoras e regiões intrônicas flanqueadoras do gene CFTR, seguida de sequenciamento de nova geração (NGS) ou pela técnica de Sanger.

METODOLOGIA

Sequenciamento de Nova Geração (NGS) / Sequenciamento Sanger

AMOSTRA

Sangue total (EDTA) – 5mL

TRANSPORTE

Refrigerado (2 a 8ºC)

PRAZO DE RESULTADO

30 dias úteis
PESQUISA DE MUTAÇÃO ESPECÍFICA NO GENE UBE3A

INDICAÇÃO

Esse exame é indicado apenas para pacientes com histórico familiar de mutação patogênica ou provavelmente patogênica no UBE3A, ou como teste confirmatório de mutação identificada por outra metodologia. A metodologia desse exame consiste na amplificação por PCR da região genômica da mutação, seguida de sequenciamento bidirecional pela metodologia de Sanger e eletroforese em capilar.

METODOLOGIA

Sequenciamento Sanger

AMOSTRA

Sangue total (EDTA) – 5mL

TRANSPORTE

Refrigerado (2 a 8ºC)

PRAZO DE RESULTADO

15 dias úteis